Inkjet de Produção na Drupa 2016 - artigo 4 - Landa - as impressoras e a Metallography (parte 2)

Inkjet de Produção na Drupa 2016 - artigo 4 - Landa - as impressoras e a Metallography (parte 2)

Avalie este item
(0 votos)

Seguimos na publicação dos artigos que traduzimos de David Zwang recém publicados no WhatTheyThink com explicações detalhadas das principais tecnologias de inkjet de produção que estarão expostas na drupa deste ano. 

Na Segunda Parte deste artigo de duas partes, David continua sua revisão sobre Landa, a tecnologia Nanographic Printing e adicionais novos desenvolvimentos e ofertas em preparação para a drupe 2016

By David Zwang

Published: March 31, 2016

Na Parte Um, nós cobrimos em detalhes a tinta e o processo de imagem para a Nanografia Landa . Agora nós mergulharemos nos detalhes das impressoras, assim como as novas tecnologias de metalização.

Configurações das Impressoras e Sistema de Transporte

O sistema de transporte de mídia para as impressoras Landa foi desenhado conjuntamente com a Komori e é fabricado pela Komori. Essa aproximação faz todo o sentido, já que a Komori produz impressoras desde 1925. Isso permite a Landa focar na tecnologia de imagem. Isso também se traduz em um desenho da alimentação de papel, transporte e sistema de entrega baseado em muitos anos de experiência

Há no momento três modelos de impressoras que serão mostradas e vendidas durante a drupa. Dois modelos de folhas incluindo a S10 que é desenhada para cartões semi rígidos, aplicações PDV, etc. e a S10P que é um modelo frente e verso desenhada para aplicações comerciais em geral. Ambas suportam substratos revestidos e não-revestidos (não pré-tratados). O terceiro modelo, a W10, é um modelo alimentado por bobina desenhada para embalagem flexível e suporta uma grande variedade de plásticos, foils, cartões, papel, etc.

Todas as impressoras têm o mesmo sistema de imagem como descrito na Parte Um deste artigo e vem de fábrica com a Gestão de Qualidade Ativa da Landa, um sistema em circuito fechado de controle de qualidade, em linha, com correção automática para falhas em bicos.

A Landa S10, que será a primeira impressora a ser entregue, está voltada para embalagens em cartão semi rígido, displays e sinalização. Ë uma impressora formato B1, para folhas,  com área de impressão máxima 75 x 103 cm. A impressora suporta uma ampla variedade de espessuras, de 2,4 a 32 pontos (60 a 800 gs). Está prevista para imprimir 6,500 folhas por hora com a opção de aumento até 13.000 folhas por hora com opção de alta velocidade. Essa opção de alta velocidade usa a mesma quantidade de cabeças e barras de impressão e pode sofrer atualizações em uso. O tamanho da folha é o ideal para a maioria das aplicações de embalagens e comerciais. Também é o formato adequado para ser introduzido em muitas gráficas que levam seriamente em consideração a tecnologia de inkjet de produção de qualquer tipo. A unidade de opcional de envernizamento suporta tanto verniz total como spot, assim como UV e vernizes aquosos.

Até o momento, a única outra impressora inkjet B1 anunciada é a Heidelberg Primefire 106, que usa cabeças de impressão Dimatix SAMBA, mas com tintas mais convencionais com base em agua e imagem direta no substrato. Landa acredita que a S10 terá custo efetivo para mais de 50% de todos os trabalhos de embalagem. Esse cálculo foi determinado baseado em um ponto de equilíbrio ao redor de 5.000 folhas formato B1.

A Landa S10P é uma impressora frente e verso B1 desenhada para impressão comercial em geral. Assim como a S10 é um formato de impressão muito familiar e confortável para gráficas. As especificações para o tamanho da folha e velocidades são as mesmas que para a Landa S10. A grande diferença entre os dois modelos é que essa é uma máquina frente e verso onde a mídia é invertida e passa através da unidade de imagem duas vezes. Como as imagens estão secas quando encontram a mídia, não há necessidade de qualquer secagem suplementar no transporte. Isso também significa que a impressão dos dois lados ou acabamento podem ser feito de imediato. Como resultado, a impressão através da impressão dos dois lados é de 3.250 folhas por hora (fph)e 6500 fph com opção de alta velocidade. Se configurada para 13.000 fph essa máquina pode facilmente competir com a maioria das offsets convencionais.

A Landa W10 é o modelo de alimentação por bobina. Ela suporta uma largura de bobina de 105 cm., com um diâmetro de rolo de 99cm. A espessura de mídia varia de 4 a 10 pontos (10-350 microns). A velocidade da impressora é de 328 pés por minuto (~100 m/min) podendo ser elevada até 656 p/min (200m/min) com a opção de alta velocidade. Ela tem desbobinadeira e rebobinadeira. Ela suporta uma grande variedade de cartões convencionais, papéis, plásticos e foils. Landa projeta que o pronto de equilíbrio com a impressão convencional será em tiragens de aproximadamente 30.000 pés (~9.000m.)

Controle da Impressora e DFE

Uma das coisas que a maioria das pessoas que viram as impressoras Landa na drupa 2012 lembram é a interface do controle das impressoras que pareciam Ipads gigantes. Não somente eram muito visuais como únicos para uma fabricante de impressoras. Adicionava controles de toque interativos com o mesmo tipo do interface de usuário que as pessoas começaram a se acostumar a usar no dia a dia de suas vidas. Adicionalmente aos controles de operação os painéis também passavam imagens da impressão e das operações internas das máquinas. A impressora e o layout do controle mudaram desde a drupa 2012 baseado no feedback dos futuros usuários ao mesmo tempo que aumento o comprimento das impressoras e com um fluxo de trabalho muito mais eficiente. Landa chama esses controles de cockpit, como você pode ver abaixo, e essa nomenclatura faz sentido.

LANDA

 

Landa fez parceria com a EFI para desenvolver e fornecer o DFE para suas impressoras. Mesmo a EFI tendo desenvolvido e integrado seus DFEs Fiery nas impressoras digitais por anos, as demandas das impressoras Landa trouxeram um monte de novos desafios.  A essência desses desafios é que a armazenagem de  dados e as demandas de processamento RIP dessas impressoras levaram ao limite o estado da tecnologia atualmente disponível. Isso foi melhor explicado no blog da InfoTrends publicado em Dezembro de 2014 (“EFI to Drive Landa Digital Presses”)

O DFE será fornecido em três configurações em seu lançamento: Standard, Performance e Premium. Parecido com outros fabricantes, a seleção de qual configuração de DFE vai ser usado depende de requisitos sobre aplicações específicas

Nano-Metalografia

Na drupe 2016 Landa introduzirá outra nova tecnologia que está desenhada para a produção de impressos, mais especificamente, para a produção de embalagens.

Como previamente descrito, a tecnologia Nanographic Printing®  apareceu da pesquisa feita em nanotecnologia nos Laboratórios Landa. Durante a pesquisa, em adição ao trabalho com pigmentos, eles também encontraram maneiras de trabalhar com partículas metálicas de tamanho nano. Essa pesquisa gerou um novo processo que Landa está chamando de Metalografia (MetallographyTM.) A aplicação inicial está sendo direcionada a enfeites metalizados para impressão, embora isso possa encontrar futuras aplicações em eletrônicos, manufaturas, etc.

O novo processo de metalização está desenhado para produzir com desperdício zero e pelo menos na metade do custo do foil. O processo começa com a impressão de uma imagem indutiva ou sensibilizada (trigger images). Essa imagem indutiva pode ser impressa usando qualquer tecnologia de impressão, Landa vem fazendo a maioria dos seus testes com flexo e silk screen, embora imagens indutivas também possam ser impressas com offset convencional, rotogravura, inkjet ou qualquer combinação de tecnologias de impressão. Enquanto Landa não está atualmente divulgando coisas mais específicas, acreditamos que há aditivos misturados com a tinta que permitem a criação de imagens indutivas.

A imagem indutiva entra no modulo de metalização Landa que contém a tecnologia de metalização. Ela consiste, no mínimo, de NanoFlocos de metal e um rolo doador. Quando o substrato com a imagem indutiva impressa passa pelo cilindro doador, que é  coberto com uma mono película de NanoFlocos, os flocos são atraídos para a imagem indutiva. O cilindro doador é continuamente carregado com NanoFlocos durante o processo.

A figura acima mostra a L50 (metalizadora de rótulos de banda estreita) módulo em linha com uma impressora de rótulos flexográfica. Landa estará mostrando duas configurações diferentes desse processo: sobreimpressão prata e um floco dourado sobre uma rotativa flexo de banda estreita para rótulos.

Landa espera inicialmente ofertar seus módulos de Nano-Metalografia como complemento de impressoras de rótulo de banda estreita. Eles espera na sequencia oferecer unidades com formatos maiores para fabricantes de rotativas flexo, rotogravura, offset rotativas e de folhas e usar suas impressoras e tecnologia de impressão para imprimir imagens indutivas.

Conclusão

Essas impressoras estarão rodando ao vivo no estande da Landa na drupa 2016, que deverá ter o dobro do tamanho do estande da última drupa. Embora ainda tenha algumas questões a serem resolvidas, Landa tem certeza desta vez que impressoras beta serão instaladas no inicio de 2017; alguns dos lugares beta para a S10 já foram selecionados e essas empresas parecem bem ansiosas e excitadas em começar a trabalhar com essas impressoras. Landa estará recebendo pedidos na drupa 2016 para entregas em 2017, embora eu imagine que as empresas que assinaram uma carta de intenção na drupa 2012 e não tenham cancelado, provavelmente tomarão muito da sua capacidade inicial de produção. O que posso dizer das amostras que tenho visto ao longo dos anos e a prospecção do que a nanotecnologia pode trazer para a impressão e para as gráficas, posso entender o porquê dessa procura. O preço das impressoras está no mesmo nível das impressoras offset e flexo de alta qualidade.

Fique ligado para mais um monte de informações sobre outras soluções de inkjet de produção tão logo as informações fiquem disponiveis e quanto mais perto estivermos da drupa 2016

Sobre o David: 

David Zwang

David Zwang é consultor norte-americano, trabalhando com otimização da produção, planejamento estratégico, análise de mercado e servicos relacionados. Seus clientes incluem gráicas, fabricantes, varejistas, editoras, premedia e agências do governo americano 

Ler 37455 vezes
Hamilton T. Costa

Website.: www.anconsulting.com.br

83052 comentários

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.